• Primeiro passaporte biométrico para a Zetes
  • Instalação estratégica de uma subsidiária africana, num país membro da CEDEAO
  • Fornecimento completo da solução de emissão de passaporte

Bruxelas – Abidjan – 14 de Abril. No seguimento da decisão da CEDEAO (Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental) de recomendar aos seus membros a substituição dos passaportes nacionais por passaportes de elevado grau de segurança, a República da Costa do Marfim optou por um passaporte electrónico biométrico. Neste quadro, o Governo atribuiu uma concessão com a duração de 15 anos à empresa SNEDAI (Sociedade Nacional de Emissão de Documentos Administrativos e de Identificação). Em acordo com o Governo da Costa do Marfim, a SNEDAI escolheu a empresa Zetes como parceiro técnico exclusivo por um mesmo período de 15 anos.

O novo passaporte electrónico da Costa do Marfim integrará as mais recentes tecnologias de autenticação disponíveis; os mesmos integrarão os seguintes elementos de identificação: fotografia, nomes, morada, impressões digitais e assinatura do titular.

O contrato concluído entre a SNEDAI e a Zetes inclui a instalação e a gestão em Abidjan de uma unidade de personalização de passaporte electrónico, a criação de nove centros de recenseamento, bem como de identificação biométrica (AFIS). O contrato é do tipo BOT (build, operate and transfer) o que significa que a Zetes gerirá a totalidade do projecto e será remunerada em função do número de passaportes produzidos. Os primeiros passaportes deverão estar disponíveis aos cidadãos da Costa do Marfim durante o ano de 2008. Este mercado está estimado em cerca de duzentos mil passaportes por ano (válidos por um período de 5 anos). A Gelmato é o parceiro da Zetes para este projecto, fornecendo chips electrónicos para armazenamento de dados.

Pela parte da Zetes, o investimento elevar-se-á a vários milhões de euros, para um mercado estimado em duzentos mil passaportes por ano (período de validade de cinco anos)

Ronny Depoortere, vice-presidente director da Zetes PASS, declara: «Este projecto é uma estreia para a Zetes. Na realidade, nós assumimos para a criação deste passaporte electrónico, cada uma das etapas de produção. Desde a entrada do pedido até à entrega do passaporte, passando pela verificação e aprovação, a Zetes controla as diferentes facetas da operação. Quase todas as tecnologias para a identificação de pessoas que nós desenvolvemos no decurso dos últimos anos e que instalámos de maneira diferenciada nos numerosos clientes, encontram-se aqui inteiramente integradas, visando oferecer à Costa do Marfim um sistema de emissão de passaporte tecnologicamente muito avançado».

M. Coffy, o Director Geral da SNEDAI, continua: «A nossa escolha recaiu naturalmente na Zetes, quando tivemos que seleccionar a empresa que seria responsável pela instalação do projecto. Com efeito, a Zetes reúne sob um mesmo tecto todas as competências tecnológicas necessárias para uma implementação eficaz do passaporte electrónico. Além disso, esta empresa dispõe de numerosas referências sobre o continente africano. As bens sucedidas instalações de sistemas semelhantes no Congo, no Togo e em Cabo Verde acabaram por nos convencer que a Zetes seria o parceiro ideal para atingir os objectivos fixados pela Costa do Marfim.»

Alain Wirtz, CEO do grupo Zetes, conclui: «A Costa do Marfim, como membro da CEDEAO, é um excelente ponto de ancoragem para abrir uma subsidiária no continente Africano. As discussões com os responsáveis da Costa do Marfim desenvolveram-se de forma eficaz em todos os aspectos. O sistema deverá estar operacional até ao início do Verão.»

- FIM –